Rabobank se une a iniciativa global para agricultura de clima inteligente

Instituição ocupará cadeira voltada ao tema no World Business Council for Sustainable Development (WBCSD)

Davos, Suíça, 19 de janeiro de 2017 – O Rabobank acaba de anunciar sua entrada no World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) com o objetivo de contribuir para promover a agricultura de clima inteligente, assumindo a cadeira voltada para o tema no grupo de trabalho “Finanças para Agricultura de Clima Inteligente” (Climate Smart Agriculture Finance Working Group, em inglês).

A abordagem de agricultura de clima inteligente consiste em tentar solucionar desafios climáticos presentes ao longo da cadeia de produção e que impactam a segurança alimentar mundial, com medidas desde tornar a produção mais sustentável até o combate à fome. [M1] A meta aderida pelo Rabobank é de aumentar a disponibilidade de alimentos em 50% e reduzir as emissões da agricultura e mudança de uso da terra da agricultura comercial em 50% até 2030, e está totalmente alinhada à estratégia de Baking For Food do banco.

“Como uma comunidade global, precisamos dar um passo além se quisermos alimentar uma população que atingirá 9 bilhões de pessoas em 2050. O Rabobank tem atividade em 47 países em todos os continentes e ajuda fazendeiros a terem atividades mais duradouras e produzirem  mais alimentos com menos impacto ambiental. Nós estamos animados para ampliar nosso trabalho, nos juntando a membros do World Business Council que já têm uma atuação de grande impacto nessa área”, destaca Wiebe Draijer, CEO global do Rabobank.[M2] 

Além da participação no conselho, o Rabobank será um dos parceiros inaugurais da iniciativa FReSH, promovida pelo WBCSD e pela EAT Foundation, que tem como proposta alcançar uma dieta saudável e prazerosa para todo o mundo a partir de uma produção responsável de alimentos, e promovendo a conscientização pública sobre o poder do consumidor nesse processo. A iniciativa tem em mente o contexto atual de alimentação no mundo, em que:

·         800 milhões de pessoas estão desnutridas e passam fome no mundo

·         Em 2014, mais de 1,9 bilhão de adultos estavam acima do peso, sendo que 600 milhões desses eram obesos.

·         A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) prevê que até 2050, o consumo de carnes aumentará em quase 73% em comparação com 2010.

·         Um terço de todo alimento produzido é desperdiçado ou perdido, chegando a 1.3 bilhão de toneladas anualmente, com um custo global de mais de 400 milhões de dólares.